Loading...

Sistemas de Deteção Incêndio

Um sistema de deteção de incêndios destina-se a informar todos os utilizadores de um determinado local da iminência da ocorrência de um incêndio ou do principio do mesmo.

Na generalidade um sistema de deteção de incêndio é composto por detectores automáticos, baseados na detecção de fumo, chamas ou calor, por botões manuais de alarme, por dispositivos de alarme sonoros e luminosos e pela Central de Detecção de Incêndios (CDI).

A Central de Deteção de Incêndios recebe os sinais dos detetores automáticos e manuais, e envia por sua vez os alarmes respectivos para os dispositivos de sinalização audiovisual como sirenes e luzes de emergência ou ainda para recetores remotos através de transmissores telefonicos, linhas dedicadas, etc.

Tipos de Sistemas de Deteção Incêndio

Existem essencialmente dois tipos de sistemas de detecção de incêndios: , o denominado convencional, e o endereçável/analógico.

O sistema de detecção de incêndio convencional é composto genericamente por uma Central com vários circuitos de detecção (zonas). Cada circuito de detecção cobre uma área específica, sendo que existindo um alarme a informação fornecida é referente a essa área (grupo de detectores). Geralmente os diferentes elementos de detecção e alarme são separados, sendo uma ou mais zonas para detetores automáticos (fumos, térmicos, etc) e outras só para botões de alarme. Os circuitos de alarme (sirenes) podem ser agrupados por zonas, associados aos circuitos de detecção, ou gerais, ie, para cobertura de todas as zonas do edifício com vista à eventual evacuação geral do mesmo..

O sistema de detecção de incêndio endereçável é composto por uma Central microprocessada, cujo software e hardware, permitem uma programação de funções ajustadas às necessidades projectadas para cada situação individual, praticamente detector a detector. Permitem geralmente que sejam adicionados módulos de detecção e de comando, bem como alterações ao software que permitem o ajuste do sistema de acordo com as necessidades requeridas.

No sistema de deteção de incêndio endereçável não existe, como no convencional, a separação de zonas de detecção e alarme. Aqui todos os elementos são considerados como endereços, sendo identificados individualmente na Central. Geralmente são ligados, por razões de fiabilidade de sistema em circuitos em anel (os chamados loops), cujo comprimento e nº de endereços variam de solução para solução .

O sistema de deteção de incêndio endereçável é muito mais eficaz que o convencional, permitindo uma rápida identificação dos locais onde se pode manifestar o principio de incêndio e por consequência melhorar a rapidez de intervenção. Isto deve-se ao facto de não só os detetores são identificados uma a um mas também porque na maior parte destes sistemas os sensores utilizados são do tipo analógico.


SADI - Sistemas Automático de detecão de incêndio

No caso de um sistema de detecção de incêndios este verifica continuamente se há sinais indicativos de incêndio possuindo dispositivos que, ao detectar algum sinal / risco de fogo, podem activar automaticamente mecanismos de extinção através do lançamento de água, espuma ou gás. Adicionalmente, podem ser detectadas fugas de gases, monóxido e dióxido de carbono, bem como inundações, os alarmes técnicos. Os alertas podem ser dados por diversos meios: centrais receptoras de alarmes, GSM, SMS, chamada telefónica, etc.